Ponte da Barca assinalou 500 anos do foral novo

ponte da barca foralPonte da Barca celebrou o seu dia do município com pompa e circunstância na semana passada, comemorando também os 500 anos do Foral Novo, outorgado em 1513 pelo Rei D. Manuel I. As celebrações que vinham a decorrer desde o início do ano com diversas iniciativas, culminaram com a atribuição de medalhas e homenagens a personalidades que se têm destacado e a funcionários da autarquia, numa cerimónia que contou, também, com a apresentação da obra literária ‘Forais’ pelo historiador Amândio Barros.

Como salientou, na ocasião, o presidente da câmara, Vassalo Abreu, “foi nosso desejo que estas comemorações ultrapassassem a simples evocação histórica. Por isso levamos a cabo, ao longo do ano, um projecto cultural diversificado, de modo a dignificar a homenagem prestada”.
A autarquia agraciou com a medalha de bons serviços, cinco funcionários que completaram 15 anos de serviço; quatro que completaram 20 anos de serviço e Miguel Cunha que completou 30 anos de serviço, numa manifestação de público reconhecimento pela dedicação e empenho ao serviço do município.

A medalha de mérito cultural foi atribuída a Manuel José da Rocha Armada, professor da Universidade do Minho, e os emigrantes Susy Soares e Américo da Silva, e ainda Manuel Brito, da ACOFA.
Com mérito municipal foram homenageados os presidentes de junta Inocêncio Araújo, Manuel Lima, Jorge Coutinho e Plácido Neiva.

No decorrer da cerimónia foi também projectado o documentário ‘Terra da Nóbrega: Uma Viagem no Tempo…’, da autoria de Pedro Cerqueira e Luís Arezes, e esteve em exposição a gravura ‘500 anos do Foral da Terra da Nóbrega’ oferecida ao município, da autoria de Emanuel Cruz ambas iniciativas do Agrupamento de Escolas de Ponte da Barca.
O concerto dos Fado Violado, projecto de Ana Pinhal e Francisco Almeida, que leva o fado a viajar até outras sonoridades, com destaque para o flamenco, encerrou a cerimónia.

Fonte: www.correiodominho.com/noticias.php?id=73622

Pin It